35 anos sem Bob Marley | O funeral do Rei

11/05/2016

Powered by WP Bannerize

Ariel Fagundes

Por: Ariel Fagundes

Fotos: Reprodução/Jeff Albertson

11/05/2016

O mundo ficou mais cinza no dia 11 de maio de 1981. Naquela segunda-feira, morreu o maior nome de toda história do reggae, Bob Marley. Sua relevância é tamanha que, em 2012, a presidenta Dilma Rouseff decretou que a data de hoje é o Dia Nacional do Reggae no Brasil.

E a vida é tem uma ironia estranha… O mesmo gigante que sobreviveu a um atentado a tiros na Jamaica em 1976 (e ainda fez show no dia seguinte ao tiroteio), foi levado desse mundo por uma espécie de câncer de pele que surgiu por baixo da unha do polegar do seu pé. Esse tumor foi diagnosticado em 1977, mas só piorou mesmo com a chegada dos anos 1980, tanto que Bob não parou de gravar e fazer turnês nesse tempo todo – Kaya (1978), Survival (1979) e Uprising (1980) foram lançados e divulgados pelo artista em turnês históricas.

*

Ouça abaixo o último show gravado de Bob Marley:

Em 1980, o quadro do músico piorou rapidamente. O conselho dos médicos era que ele amputasse o dedo para ter chance de se salvar, no entanto, essa prática ia contra os princípios da religião rastafári e Bob se recusou a fazê-la. Outra ironia da vida: a mesma filosofia que tanto lhe inspirou foi a causa da sua morte em maio de 1981.

Folheto com a programação da Igreja Ortodoxa Etíope para o funeral de Bob Marley

Folheto com a programação da Igreja Ortodoxa Etíope para o funeral de Bob Marley

No dia 23 daquele mês, foi realizado o funeral de Bob Marley em Kingston, capital jamaicana. O evento mobilizou o país inteiro, levando multidões para assistir a cerimônia, que contou com a presença dos líderes da Igreja Ortodoxa Etíope. Apenas seis meses antes de morrer, o músico havia se convertido a esse culto, que antecede em muito a religião rastafári (e inclusive a renega), mas que tem pontos de conexão muito fortes com a crença rasta. Uma das autoridades da Igreja Ortodoxa Etíope que oficializou o funeral do músico foi o também músico Carlton Manning, irmão de Donald e Linford Manning, da banda The Abyssinians. Seis anos depois, Carlton também ministrou o funeral de Peter Tosh, assassinado em 1987.

Depois do cerimonial público que uniu elementos da cultura rasta com a Igreja Ortodoxa Etíope, o corpo de Marley foi sepultado em uma capela em Nine Mile, perto de onde nasceu. Bob foi enterrado com vários objetos, inclusive uma guitarra elétrica (há quem diga que foi uma Gibson Les Paul, mas há também a versão de que foi uma Fender Stratocaster).

Veja abaixo uma série de vídeos que mostram a dimensão da morte do músico na Jamaica:



Tags:, , , , , ,

11/05/2016

Jornalismo, música, astrologia, fotografia, vinil, tarot, direitos humanos, mitologias, fogueiras e a arte do bem-viver me interessam.
Ariel Fagundes

Ariel Fagundes