Ouça o novo disco do Tom Zé: “Canções eróticas de ninar”

28/10/2016

Powered by WP Bannerize

Ariel Fagundes

Por: Ariel Fagundes

Fotos: André Conti/Divulgação

28/10/2016

Com 80 anos recém feitos, Tom Zé acabou de lançar oficialmente seu novo disco: Canções eróticas de ninar (ouça abaixo). O novo trabalho do baiano já está à venda em vinil e CD através do selo Circus.

*

O irônico nome do projeto revela o intenso teor sexual do álbum, que traz composições repletas de prazer e dor. Segundo Tom Zé escreve no encarte no disco, as letras falam sobre “os assuntos do sexo como eram tratados (ou não)” na sua infância e juventude.

Canções eróticas de ninar também foi o nome de um show que Tom Zé fez em 2014, no mesmo ano em que lançou seu último disco, Vira Lata na Via Láctea. Na época, o músico falou ao Jornal do Commercio: “O [repertório do show] Canções eróticas não está neste trabalho. Mas eu pretendo gravar aquelas músicas no meu disco dos 80 anos”, avisou.

Capa de "Canções eróticas de ninar" (Reprodução)

Produzido por Paulo Lepetit, o novo disco contém 13 faixas, como “Sobe ni mim”, “Sexo”, “Um Circo Voador”, “USP x GV”, “Orgasmo terceirizado”, “No tempo em que ainda havia moça feia”, “Dedo” e “Por baixo” (que foi gravada em 2015 por Gal Costa no disco Estratosférica).

Vale lembrar que “Dedo” também não é uma música completamente inédita. Há uma versão dessa faixa gravada por Tom Zé 16 anos atrás em um disco um tanto quanto obscuro chamado Cantando com a platéia (1990). Algo parecido ocorre com “USP x GV”. Em 2009, Tom Zé gravou um CD e DVD chamado Pirulito da Ciência e, nesse show, ele apresentou versos dessa faixa que agora foram incorporados no seu novo disco em uma versão que conta com a participação da cantora Vange Milliet. Já “Um Circo Voador” é uma música construída a partir de uma vinheta clássica das apresentações de Tom Zé na famosa casa de shows carioca.

Confira abaixo essas versões antigas:

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

28/10/2016

Jornalismo, música, astrologia, fotografia, vinil, tarot, direitos humanos, mitologias, fogueiras e a arte do bem-viver me interessam.
Ariel Fagundes

Ariel Fagundes