Entrevista | O Carnaval inesquecível de Pabllo Vittar

24/03/2017

Powered by WP Bannerize

Joana Barboza

Por: Joana Barboza

Fotos: Marlon Brambilla

24/03/2017

“O que o Carnaval uniu, nada separa”. Essa máxima pode até parecer meio estranha, mas não quando falamos sobre Pabllo Vittar. A cantora, dona do hit “Todo Dia”- considerada por muitos o hino das festividades de 2017, vive um dos momentos mais intensos de sua carreira até agora. Num “Carnaval que nunca vai esquecer” a artista ferveu: participou pela primeira vez da festa em Salvador ao lado de Daniela Mercury, cantou com Anitta no Bloco das Poderosas e fez muitos, mas muitos shows.

Tudo isso acompanhada pelo som de “eu não espero o Carnaval chegar pra ser vadia, sou todo dia!” entoado a plenos pulmões pela sua legião de fãs, os vittarlovers. A faixa, com participação do rapper Rico Dalasam e produção de Rodrigo Gorky, do Bonde do Rolê, é apenas uma das 10 que integram o álbum debut – como Pabllo gosta de chamar – Vai Passar Mal. Outra canção, que também compõe o tracklist, é “Então Vai” produzida por ninguém menos que Diplo. Aquele mesmo, que em 2015 serviu de inspiração para seu primeiríssimo single “Open Bar” – uma versão cintilante de “Lean On”, do Major Lazer. É, de lá para cá, bastante coisa mudou!

*

Batemos um super papo com Pabllo antes da gravação do clipe de “K.O” sobre essas mudanças, repercussão do álbum, sucesso e muito mais. Então, capricha no glitter e …

RESSUCITA!

A internet tem grande importância na sua carreira, principalmente porque foi no Youtube que sua música viralizou, né?! Você se lembra em que momento percebeu que sua música era um sucesso?
Toda vez que faço o lançamento de uma música fico muito ansiosa no dia. Logo depois de lançada, fico o tempo todo atualizando a página…para ver as visualizações e comentários! O crescimento dos números foi bem mais rápido que das outras músicas que já tinha lançado, mas a “ficha caiu” mesmo quando recebi o contato da Daniela Mercury pra cantar junto com ELA.

Inclusive é através da internet que grandes nomes acabaram conhecendo você. Como por exemplo, o Diplo. Como foi ter algumas músicas produzidas por alguém com prestígio internacional?
Imagina o seu ídolo, que até então era inacessível, produzir uma música junto com você? Eu não consigo explicar! Ele já trabalhou com Madonna, Beyoncé e COMIGO! Além de ser um sonho realizado eu sinto que, se o Diplo curtiu, eu estou no caminho certo!

E esse sucesso todo de “Todo Dia”, gente! Lançada há dois meses a música já está alcançando os 6 milhões de plays no Spotify. Como você enxerga todo esse sucesso?
Menino, esse número é só de plays no Spotify? Essa velocidade em que tudo tá acontecendo me deixa feliz demais! Acho que esse é o resultado da soma de uma legião de fãs maravilhosa, uma equipe super competente e muitas-muitas-muitas horas de trabalho para conseguir levar minha música para todo mundo! O carinho que recebo dos vittarlovers é incrível e qualquer sucesso que eu chegar a ter a “culpa” é toda deles.

A música tem a participação do Rico Dalasam. Como aconteceu esse encontro?
Tudo começou há um ano. O Rico compôs a música e me mostrou. Depois disso foi tudo natural e bem orgânico, nos encontramos pra gravar a música e depois o clipe. O mais difícil foi ter esse trabalho nas mãos por tanto tempo e não poder divulgar até estar do jeitinho que a gente queria.

O clipe já ultrapassou os 8 milhões de views no Youtube. Como foi a idealização dele? Pensando que seu primeiro grande sucesso – “Open Bar” – foi um fenômeno, o que você acha que mudou de lá pra cá?
Queríamos muito que o clipe tivesse uma interação entre imagem e animação. O projeto foi idealizado pelo estúdio Farândola, aqui de Uberlândia, que tem um trabalho incrível de ilustração e criou essas estampas maravilhosas pro clipe!

Nossa, de “Open Bar” pra cá tudo mudou, antes eu cantava em barzinhos e fazia vídeos pro youtube cantando alguns covers… Agora tenho uma agenda lotada com shows todo fim de semana, gravações do programa Amor e Sexo no Rio de Janeiro e vários outros projetos que surgiram nesse meio tempo que ainda não posso divulgar!

“Todo Dia” é uma faixa do seu álbum mais recente, lançado em janeiro deste ano, chamado Vai Passar Mal. Qual é o significado desse projeto para você?
Vejo Vai Passar Mal como meu debut como cantora. Tivemos o EP Open Bar, mas ele foi feito todo com versões de grandes hits do pop, esse é meu primeiro álbum autoral! Posso fazer uma comparação com as meninas debutantes de antigamente mesmo, que eram “apresentadas para a sociedade”… Esse álbum é exatamente como eu queria me apresentar para meus fãs, a indústria da música e toda a “sociedade”, uma mistura maluca porém coesa de ritmos e sonoridades que me influenciam e valorizam o que temos no nosso país musicalmente.

Grande parte das suas músicas tem uma pegada de balada e passam mensagens de empoderamento e superação de forma bastante alegre e pra cima. Como funciona o seu processo criativo? Da onde você tira inspiração?
Tivemos muito como inspiração o momento que estamos vivendo agora. Queríamos juntar ritmos brasileiros ao elementos de música pop tradicionais. Trago nas letras o que vivo e que muita gente vive por aí… Precisamos nos empoderar, precisamos lutar, mas podemos fazer isso de forma divertida também!

A facilidade com que as pessoas se conectam com suas letras é incrível. Inclusive, é um dos motivos que seus fãs se sentem tão à vontade para se abrir com você, pedir conselhos e até mesmo dividir experiências. Como você enxerga essa troca?
É nessa hora que eu sei que eles me entendem! Sem eles não sou nada, eu me dedico o dia todo para entregar um trabalho bom para eles e também para trocar experiências. Hoje já não consigo falar com todo mundo, mas sempre que tenho um tempinho livre de trabalho eu me dedico 100% a eles.

Você acabou se tornando uma grande figura do movimento LGBT e questões relacionadas com diversidade. Você imaginava que seria referência para tanta gente?
Sempre que me perguntam isso, eu fico lisonjeada e assustada com essa responsabilidade. Mas, se é pra conquistar mais espaço, respeito e oportunidades para a comunidade LGBT e outras minorias também, pode ter certeza que vou lutar e incentivar a luta sempre! Ao mesmo tempo gosto muito de ser ativa em um ambiente micro, por isso gosto tanto de conversar com meus fãs, entender as histórias e buscando ajudar sempre que posso.

Já fez turnê por diversos lugares e agora está a frente da banda do programa Amor e Sexo, numa emissora tradicional. Como você enxerga esse momento em que vivemos? Você acredita que há mais aceitação em espaços da sociedade que antes pareciam mais fechados?
Acredito que temos mais pessoas dispostas a apoiar a nossa causa, temos cada dia mais apoio e também mais discursos de ódio! Mas, se pensarmos que temos um programa em TV aberta, exibido nacionalmente, discutindo temas como: machismo, feminismo, direitos das minorias e muitos outros tópicos importantíssimos semanalmente, vemos que estamos progredindo para uma sociedade mais justa e respeitosa sim.

Quando conversamos anteriormente você estava ansiosa para o que estava por vir no Carnaval. E você ferveu, né?! Fez vários shows e participou de bloquinhos famosos com muitas parcerias maravilhosas! Como foi viver essa experiência tão intensa?
Com certeza foi a melhor experiência da minha vida! Esse Carnaval também foi a realização de um sonho e não vou esquecer nunca! Foi uma correria, vivi praticamente dentro de aviões, carros e vans, mas foi inesquecível! Participei pela primeira vez do carnaval de Salvador e ao lado de ninguém menos que Daniela Mercury, depois ainda estive com a Anitta no Bloco das Poderosas que arrastou 400 mil pessoas pelas ruas do Rio DE MANHÃ e de quebra ainda conheci o Xande Aviões, Nego do Borel, Dilsinho e mais um monte de artistas que sou muito fã! Sem contar nos outros shows menores (mas não menos importantes) que fiz. O Carnaval é um experiência surreal, já estou me preparando fisicamente para o ano que vem!

E nesses shows todos, qual é o seu momento favorito no palco?
Nessa nova tour, por enquanto, é o grito de RESSUSCITA! Nessa hora você vê todo mundo se jogando, com o rosto feliz, esquecendo os problemas e emanando energia boa.

O que podemos esperar para o futuro? Você pode nos adiantar algo sobre novos projetos?
Não posso contar, mas vão rolar algumas coisinhas novas no segundo semestre! Por enquanto o que posso dizer é que vai ter clipe novo (K.O.) já já e que a Vai Passar Mal Tour começou e já temos datas marcadas de Manaus/AM a Santo Ângelo/RS!

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,

24/03/2017

Joana Barboza

Joana Barboza