Tupac e Madonna: paixão, prisão e questões raciais em um conto de fadas gangsta

05/07/2017

Powered by WP Bannerize

Ariel Fagundes

Por: Ariel Fagundes

Fotos: Reprodução

05/07/2017

Ela era a rainha do pop que tinha o mundo aos seus pés. Ele era um ex-traficante que se tornou um dos pilares do gangsta rap. Por um breve e intenso período no início dos anos 1990, Madonna e Tupac Shakur formaram um casal e tanto. A relação deles permaneceu por muito tempo escondida, mas agora veio à tona uma carta que revela que o caso de amor acabou quando o rapper foi parar atrás das grades.

Um manuscrito assinado pelo rapper e endereçado à cantora entrou à venda na casa de leilões Gotta Have Rock and Roll revelando novas informações sobre o caso. Publicada parcialmente pelo site TMZ, o documento datado de 15 de janeiro de 1995 traz uma série de comentários de Tupac sobre a artista

Clique na imagem para ler a carta inteira (Reprodução TMZ)

É preciso lembrar que, naquele momento, o rapper estava sendo preso na penitenciária Clinton Correctional Facility, onde passaria os nove meses seguintes cumprindo pena por abuso sexual. A sentença se referia a um caso ocorrido em 1993 e Tupac sempre negou todas acusações. Encarcerado, ele lançou o álbum Me Against the World, que foi um grande sucesso e ganhou disco duplo de platina. Um mês após esse lançamento, ele se casou com Keisha Morris, uma jovem que não mantinha relação alguma com o mundo da música, mas esse casamento acabou poucos meses depois.

Happy Birthday Tupac! 🎉🎉🎉🎂🎂💘Not sure what my dumb ass facial expression is all about. 🤡maybe we were at the circus. 🎪

A post shared by Madonna (@madonna) on

Considerando o tom da carta à Madonna, fica claro que o rapper manteve uma mágoa em relação a ela. Ainda que até hoje não esteja claro quanto tempo eles ficaram juntos, o texto revela que a diferença de cor de pele era um problema entre eles, assim como a sexualidade aberta da cantora:

Para você, ser vista com um homem negro, não ameaça a sua carreira, no máximo faz com que você pareça mais aberta e aventureira. Mas, no meu caso, senti que, devido a minha “imagem”, eu estaria decepcionando metade das pessoas que me fizeram ser o que sou. Jamais quis te machucar. (…) Você disse em uma entrevista: “Estou aqui para reabilitar todos os rappers e jogadores de basquete”, ou algo assim, e essas palavras me feriram profundamente ao ver que eu nunca soube de você estar com nenhum rapper além de mim. Foi nesse momento de mágoa e instinto natural de reagir e defender meu coração e meu ego que eu disse um monte de coisas. (…) Por favor, entenda a posição que tive sendo um jovem com experiência limitada [saindo] com um símbolo sexual extremamente famoso.

A carta acaba com um pedido de Tupac para que Madonna visite ele na prisão, o que nunca aconteceu conforme ele mesmo explica na entrevista de 1996 que você assiste abaixo.

Em entrevista ao radialista Howard Stern, a cantora confirmou que teve um caso com Tupac em 1994, mas não entrou em detalhes. Comentando a entrevista que fez no programa de David Letterman naquele ano, ela disse: “Eu estava saindo com Tupac Shakur naquela época e a questão é que ele me deixava irritada com a vida em geral. Então eu fui pro programa me sentido muito gangster”.

O disco que Madonna lançou em 1994, Bedtime Stories, traz a faixa “I’d Rather Be Your Lover” com participação especial de Meshell Ndegeocello. Porém, originalmente, essa faixa traria como convidado o próprio Tupac. Ele chegou a gravar seus versos pra música, mas essa versão não foi lançada oficialmente. É provável que o rapper tenha sido retirado da música devido à polêmica que havia ao seu redor em função das acusações de abuso sexual que lhe levariam à prisão no ano seguinte.

Ouça abaixo uma versão demo de “I’d Rather Be Your Lover” que contém a parte de Tupac:

Tags:, , , , , , , , , , ,

05/07/2017

Entre o bemol e o sustenido.
Ariel Fagundes

Ariel Fagundes