Exclusivo | A ginga forte de Raissa Fayet e Russo Passapusso em “Capim”

12/09/2019

Powered by WP Bannerize

Ariel Fagundes

Por: Ariel Fagundes

Fotos: Márcia Kohatsu/Divulgação

12/09/2019

No ponto de encontro entre sonoridades da música jamaicana e das cantigas populares brasileiras, chega o novo single de Raissa Fayet: “Capim”. Lançada em um clipe com exclusividade pela NOIZE, a faixa traz a participação de Russo Passapusso, do BaianaSystem, e o desafio é assistir até o fim sem balançar os quadris.

Veja abaixo:

*

Gravado em Curitiba e na Ilha do Mel, no Paraná, o clipe foi dirigido por Fernando Moreira e, de uma forma simples e impactante, ilustra bem as reflexões de Raissa. Dinheiro, plástico, cigarro, trânsito, tudo é absorvido pelos personagens do vídeo e digerido em dança. Há ainda inserções em Libras de Rafaela Hoebel e Jonatas Medeiros e a participação especial da mãe de Raissa, a astróloga Adriane Fayet.

Segundo Raissa, a composição hipnótica e dançante de “Capim” apresenta um mosaico de simbologias sobre o cotidiano contemporâneo e o aprisionamento que surge dos hábitos e vícios entranhados em nossas rotinas. “[Fala de] ações que fazemos sem refletir sobre, desde comer carne, fumar, dormir com o celular e por aí vai. Como vamos conseguir sair dessa roda sistêmica que nos aprisiona?”, questiona a artista.

“Capim” é o segundo lançamento da trilogia Zoiúda, o primeiro foi a faixa que dá título ao projeto. Zoiúda é o nome do EP que Raissa Fayet prevê lançar ainda no segundo semestre do ano com três faixas produzidas por Guilherme Kastrup (músico e produtor de discos importantes, como Deus é Mulher e A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares). O material apresenta participações de Russo Passapusso, de alguns integrantes do Bixiga 70, e de um elenco de instrumentistas de peso como Du Gomide (sitar, guitarra, rabeca, viola e vozes), François Muleka (baixo e vozes), Maurício Fleury (guitarra e teclado) e o próprio Kastrup (percussão e bateria).

– Essa trilogia é um chamado para uma reflexão de novos hábitos, de uma nova consciência. Somos os bois do sistema, vamos nos libertar, entender que tudo que precisamos para sobreviver vem da terra, água, ar e o alimento, estarmos atentos para iniciar na prática a mudança. Abre o Zóio!! Zoiúdaaaa!! Pra matar os mal do mundo! – comenta Fayet.

Aproveite e assista abaixo ao clipe de “Zoiúda”:

Com um trabalho de pesquisa e criação que perpassa as tradições populares brasileiras e chega até as culturas cigana e tuareg, Raissa Fayet está trilhando um caminho que une música, espiritualidade e questionamentos políticos. Pelas curvas da vida, sua carreira acabou se direcionando ao exterior. Em 2015, gravou com Gregor Meyle uma versão de “HeuteNacht” que se tornou um sucesso no iTunes e resultou na participação de Raissa na tour de Gregor. Em 2016, foi selecionada para participar do Red Bull Music Academy Bass Camp, junto com Russo Passapusso, representando o Brasil na edição que ocorreu no Chile. No ano seguinte, produziu um mini documentário e um single chamados “São Jorge”. Gravado durante o XIII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, esse material aborda a o processo criativo que resultaria no disco (2017). Confira abaixo RÁ e “São Jorge” e siga Raissa Fayet para acompanhar o trabalho da artista.

Tags:, , , , , , , , , , ,

12/09/2019

Editor
Ariel Fagundes

Ariel Fagundes