Rubber Tracks Live: rap e Chet Faker

11/08/2014

The specified slider id does not exist.

Powered by WP Bannerize

Revista NOIZE

Por: Revista NOIZE

Fotos:

11/08/2014

Fotos: Camila Mazzini

Entre os dias 30 de julho e 3 de agosto, São Paulo recebeu o festival Rubber Tracks Live, que trouxe nomes como Chromeo, Chet Faker, Dinosaur Jr., Minus the Bear, Brand New, Busta Rhymes e Clutch. Promovido pela Converse, o evento gratuito lotou o Cine Joia em suas cinco noites de duração e, como tudo na cidade, teve fila, mimimi, muita polêmica no Facebook e gente caindo do teto – essa última, menos comum, mas verdadeira.

*

Os ingressos, distribuídos pela internet para quem se cadastrasse no site do festival, esgotaram rapidamente. Entretanto, por uma ironia do destino, a confirmação por e-mail não garantia a entrada nos shows. Para conseguir a façanha, era preciso enfrentar fila e se sujeitar à lotação máxima da casa – em torno de 1.200 pessoas. Apesar da espera de horas e das muitas desistências no meio do caminho, dentro do Cine Joia, o clima era ótimo.

Acompanhei a terceira noite de shows, com Chet Faker e Busta Rhymes como atrações principais, além de ótimas performances de Don L e Nego E. Restringir a entrada garantiu que todos pudessem circular tranquilamente entre pista, bar e banheiros. O resultado era um público feliz (ao menos para os sortudos que já estavam lá dentro). A noite começou animada com a performance de Nego E, que abriu os trabalhos com faixas de seu EP Egresso. Depois, foi a vez de Don L, que trouxe do Ceará hits de sua mixtape Caro Vapor / Vida e Veneno de Don L. Os shows foram curtos, em torno de 30 minutos cada, mas agitaram bastante a galera.

Don L

Don L

Depois, veio Chet Faker – esse um pouco mais familiar aos meus ouvidos. Chegou com um jeito meio atordoado e já foi logo avisando “acabei de voltar de Tóquio e perderam a minha bagagem”. Ainda bem que o cara consegue fazer tudo com um laptop e um microfone. Essa geração que produz um CD todo dentro do próprio quarto é realmente impressionante. Chet tocou só por 40 minutos, deixando muitas meninas e rapazes vestidos de lenhador (jeans, suspensório, barba e gorro) frustrados. No set-list teve “1998”, “No Diggity”, “I’m Into You” e “Talk Is Cheep”. A última, praticamente à capela, muito prejudicada pela acústica do Cine Joia.

Chet Faker

Chet Faker

Junto com a saída de Chet do palco, uma debandada indie deixou a casa, o que deu uma homogeneizada no público. Todos estavam lá para ver Busta Rhymes. O cara chegou forte e fez um show intenso, com clássicos como “Make It Clap” e “I Know What You Want”, parceria com a Mariah Carrey que marcou uma geração no início dos anos 2000. O show estava animado e a galera nem teria percebido um dos fatos mais peculiares da noite se não fosse o próprio sr. Rhymes cantarolar “tem um homem no telhado” entre uma de suas músicas.

Ninguém sabe ao certo como aconteceu, mas um homem invadiu o telhado do Cine Joia e como resultado, despencou dentro da área VIP, ferindo duas pessoas – entre elas a linda DJ Typá, que acompanhava o rapper Don L minutos antes no palco. A gata quebrou o nariz e foi internada no Hospital Sírio Libanês para tratar de outras escoriações. Apesar do susto, os shows terminaram tranquilamente e a noite dedicada ao rap com um pouquinho de indie foi bem sucedida.

Busta Rhymes

Busta Rhymes

Tags:, , , , , ,

11/08/2014

Revista NOIZE

Revista NOIZE